Óticas

As óticas utilizam-se para transmitir a luz ao sensor da câmara de uma forma controlada e, assim, obter uma imagem focada de um ou vários objetos.

Para saber, exatamente, que ótica utilizar para a aplicação que se deseja resolver, deve-se ter em conta uma série de parâmetros. Por um lado deve-se conhecer o tamanho do sensor da câmara, por outro, saber a que distância estará o objeto da câmara e, por último, conhecer o campo de visão que desejamos abarcar na nossa aplicação. Uma vez conhecidos todos estes parâmetros, poderemos calcular a ótica a utilizar, mediante a seguinte formula:

Distância = (Tamanho do sensor * Distância ao objeto) / Tamanho do objeto

Nos sistemas de visão artificial, é necessário utilizar óticas de qualidade para ter a melhor imagem possível e permitir as medidas com a maior precisão.
Há muitos fabricantes de óticas, que podem produzir lentes de distintas qualidades, no entanto nenhum tem uma gama total de óticas para cobrir todas as necessidades que surgem nas aplicações de visão.

Para definir o tipo de ótica deve-se seguir uma série de considerações:

• O tipo de iluminação utilizado
• As especificações do sensor da câmara
• O tamanho e geometria do objeto
• A distância e o espaço disponível

A correta seleção de uma ótica, na maioria das vezes, não é óbvia. Sucede, inclusive, que quando não é corretamente selecionada, mesmo que utilizada uma ótica de excelente qualidade, não se obtém o resultado desejado.

Qual é a melhor lente para nossa aplicação?

ÓTICAS PARA APLICAÇÕES INDUSTRIAIS E CIENTÍFICAS

Na maioria das aplicações de visão utilizam-se óticas de foco fixo. Não é habitual a utilização de óticas zoom e, menos ainda, de óticas motorizadas, ainda que em determinadas situações sejam de grande utilidade. Normalmente, o habitual em visão industrial é a distância entre os objetos e a câmara ser sempre a mesma e o tamanho dos objetos numa determinada aplicação permanecer mais ou menos constante.

É também importante ajustar a qualidade da ótica ao resto dos componentes de visão. Por exemplo, se se utiliza uma câmara de alta definição, será necessário pôr uma ótica de qualidade para aproveitar ao máximo as características da câmara. Do mesmo modo, não tem sentido pôr uma lente de alta qualidade numa aplicação em que apenas seja necessário distinguir entre objetos escuros e claros.

QUEREMOS INFORMAR-TE DE TUDO O QUE ACONTECE NA VISÃO

Assine a nossa newsletter

Assine