FRAME GRABBERS AVANÇADOS

enciclopedia-image

Os frame grabbers avançados analógicos de altas prestações são os que, geralmente, se utilizam na maioria das aplicações de visão artificial, quando é necessário ligar câmaras com saída de vídeo não Standard.

Os requisitos mínimos que devem cumprir os frame grabber de prestações avançadas são: um circuito de conversão analógico/digital de excelentes prestações; a possibilidade de aceitar sinais de sincronismo da câmara ou poder providenciar estes sinais; um PLL programável avançado, que se utiliza para ajustar os sinais de vídeo que sejam Standards ou não. A maioria dos frame grabber avançados incorporam entrada de pixel clock, que se utiliza para ajustar a digitalização dos pixels.

Grande parte das aplicações de visão artificial deve capturar as imagens num preciso momento, que, normalmente, vem determinado por um sinal externo (trigger). Frequentemente, o frame grabber pode enviar um sinal (strobe) para o controlo de outros componentes industriais.

Este tipo de frame grabbers, também, deve ser capaz de funcionar com câmaras que incorporam a possibilidade de reset assíncrono, em que o sincronismo é interrompido pelo sinal externo (trigger). Também devem poder controlar o sinal de entrada (ganho e contraste) para poder compensar as suas

possíveis variações, dependendo do tipo de câmara. Normalmente, incorporam circuitos de Look Up table de entrada e saída que permitem fazer processamentos por hardware.

ANALÓGICOS

Utilizam-se componentes de elevada qualidade e altas prestações, com o fim de capturar as imagens com a melhor qualidade, procedentes de fontes de vídeo Standard ou não Standard.

As principais características de este tipo de placas são:

• Capacidade de capturar imagens procedentes de câmaras com alta frequência de amostra e o facto de incorporar um baixo pixel jitter.

• Incorporação de memória on-board para poder realizar, com garantia, a transferência DMA para o computador de imagens procedentes de todo tipo de câmaras.

• Possibilidade de trabalhar com formatos de imagem progressivos, de alta velocidade e de alta definição.

Incluem geradores de sincronismo (Vertical, Horizontal e de pixel), circuitos que permitem capturar sinais externos e enviar sinais de controlo, com possibilidade de trabalhar em reset assíncrono. Também incorporam I/O digitais;

Vêm acompanhadas de um software de desenvolvimento avançado que permite realizar o controlo de todas as possibilidades hardware que oferece o frame grabber.

DIGITAIS

Utilizam-se como interfaces para câmaras digitais. Normalmente, apresentam a maioria das seguintes características:

• Entrada de 8 a 64 bits em formato CameraLink ou LVDS (EIA-644).

• Controlo de tempo e sincronização muito precisos.

• Suporte para câmaras com múltiplas saídas (taps).

• Controlo de câmara por canal digital ou através de RS-232

• Arquitectura Scatter Gather para transferência e manipulação de imagens.

• Sincronização de múltiplas câmaras.

• Circuitos dedicados para pré-processamento de imagem.

Recentemente, surgiu a interface de conexão digital HSLink, especificamente desenvolvida para aplicações de visão industrial.

Esta tecnologia está baseada no standard CameraLink, porém, com mais desempenho e velocidade sendo capaz de fornecer largura de bandas variáveis desde 300 até 6.000Mbytes/s.